Skip to content

Nem tão bravo assim

16 de Fevereiro de 2011

Sempre gostei de assistir filmes de faroeste. Quando criança gostava de ver os homens corajosos – conhecidos também como mocinhos – que usavam chapéu, andavam a cavalo, bebiam uísque em bares, chamados de Saloon, que tinham portas pela metade. Homens que viviam em cidades sem lei e usavam armas para garantir a segurança. E sofriam para conseguir a vingança contra aqueles que tinham feito mal. E ainda depois disso tudo, ficavam com uma linda mulher. Com todos esses elementos, que criavam uma atmosfera única para tal tipo filme, não havia jeito de um garoto de 16 anos não ficar fascinado.

Mas depois que cresci, a atmosfera criada por esses elementos citados não é o bastante para conquistar o meu olhar e o meu interesse. É necessário ter algo além dos duelos armados, das perseguições a cavalos. Precisa ter bons diálogos, um bom roteiro . E são esses elementos que faltam no filme dos irmãos Cohen, chamado “Bravura Indômita”.

foto: divulgação

A película conta a história de uma menina de 14 anos, Matt Ross (Hailee Steinfeld), que contrata um xerife beberrão, Reuben J. Cogburn (Jeff Bridges), para vingar a morte de seu pai que foi assassinado a sangue frio por Tom Shaney (Josh Brolin). Para isso, eles tem que entrar em território indígena e capturá-lo antes do Texas Ranger chamado La Boeuf (Matt Damon) que também quer prender Shaney por matar outro homem.

A fita – que é um remake de “True Gift” de 1969, onde John Wayne ganhou seu único Oscar por sua atuação no papel de Cogburn – tem nas interpretações o seu ponto alto, principalmente a de Jeff Bridges, que foi indicado na categoria de melhor ator para a disputada do Oscar 2011.

foto: divulgação

No mais, “Bravura” deixa um pouco a desejar, principalmente, na relação entre o xerife beberrão e a menina. O roteiro e os diálogos não ajudam a construir e a transformar essa relação no ponto principal da história, e a partir disso, explorar outros temas como redenção e vingança. Aos amantes do estilo western, que vêem os filmes de Sergio Leone e Clint Eastwood como os pontos altos do gênero, irão ficar decepcionados.

“Bravura Indômita” foi indicado ao Oscar 2011 em 10 categorias, entre elas: melhor filme, melhor diretor, melhor ator e atriz coadjuvante.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: